segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Vidas Secas - Resenha

O que impulsiona os personagens é a seca, áspera e cruel, e paradoxalmente a ligação telúrica, afetiva, que expõe naqueles seres em retirada, à procura de meios de sobrevivência e um futuro. Apesar desse sentimento de transbordante solidariedade e compaixão com que a narrativa acompanha a miúda saga do vaqueiro Fabiano e sua gente, o autor contou: "Procurei auscultar a alma do ser rude e quase primitivo que mora na zona mais recuada do sertão... os meus personagens são quase selvagens... pesquisa que os escritores regionalistas não fazem e nem mesmo podem fazer ...porque comumente não são familiares com o ambiente que descrevem...Fiz o livrinho sem paisagens, sem diálogos. E sem amor. A minha gente, quase muda, vive numa casa velha de fazenda. As pessoas adultas, preocupadas com o estômago, não tem tempo de abraçar-se. Até a cachorra [Baleia] é uma criatura decente, porque na vizinhança não existem galãs caninos".

Autor: Graciliano Ramos
Editora: Record
Número de Páginas: 175

Clássicos. Passamos a vida inteira do colegial ouvindo sobre os grandes clássicos e sendo obrigados a lê-los. Mas se teve um livro que agradeço em ter sido obrigado a ler, esse livro é Vidas Secas que só perde para Senhora ao meu ver.

Vidas Secas conta a história de fuga  de uma família do sertão nordestino. O pai da família é Fabiano um homem desiludido da vida. Toda a ambição de enriquecer fica por conta de Sinhá Vitória, sua esposa, que sonha com uma cama de ouro. Eles tem dois filhos a qual o autor os chamou de menino mais novo e  menino mais velho.
Fabiano é o homem selvagem do campo que passa por grande injustiças e opressão por parte da alta sociedade, ou melhor, da sociedade.

Quando estava escrevendo a resenha, foi impóssivel não lembrar da música de Luiz Gozanga, Vida de Viajante. A música retrata perfeitamente a vida da familia de Fabiano que sai em busca da cidade grande, sem esperanças.

O personagem central é Fabiano que como disse tem atitude selvagens e que prefere viver em isolamento, tendo como os animais seus melhores amigos. Por falar em animais, somos apresentados a Baleia, que de baleia não tem nada, a cadela da familia é tratada como um ente querido.

A narração se encontra em terceira pessoa com narrador onisciente. Graciliano Ramos escreve com maestria o cenário do sertão nordestino, levando o leitor se sentir no próprio sertão. Outro ponto que é importante ressaltar em um clássico é o tempo histórico, que nesse caso é representado por um soldado, simbolo da Era Vargas.

Vidas Secas é uma leitura para a vida.

AValiação : ✭ ✭ ✭ ✭

20 comentários :

  1. Li esse livro tem uns três anos, gostei muito.Estou ansiosa para fazer uma releitura.Foi muito bom lembrar da história através de sua resenha.Luiz Gonzaga tem tudo haver com o livro, e com certeza é uma história para a vida toda!

    Um xero, Ana.

    ResponderExcluir
  2. Lucas, acredita que não li Vidas Secas mesmo quando estava na época de prestar vestibular? Eu fiz uma lista diferente na época, rs, optei por autores que não são muito lembrados pelas instituições de ensino superior, e, por sorte, não me fez tanta falta na época - com exceção de Fernando Pessoa, que me traumatizou.

    Vou anotar aqui e quero muito ler um dia, assim como reler algumas obras do grande José Lins do Rêgo.

    Bela resenha ;)

    ResponderExcluir
  3. Oi Lucas!
    Eu li esse livro na época de escola, mas não curti... Achei a história sofrida demais! Prefiro ler livros mais leves.

    Beijos,
    Sora - Meu Jardim de Livros

    ResponderExcluir
  4. Hey,
    nunca li esse livro, mas talvez me "obriguem" a ler daqui a alguns tempos, haha. Parece legal (:


    Bye,
    http://prateleiradepensamentos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Muitas pessoas já me recomendaram esse livro, inclusive as que foram obrigadas a lê-lo. Incrível como um livro pode ser bom e tão "maltratado" ao mesmo tempo.

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  6. OLá!

    Gosto muito desse livro, o li para o vestibular. Graciliano realmente traz elementos nordestinos bem característicos, tanto social, politico e cultural, trazendo não somente a seca no sentido geográfico..Alguns clássicos são enfadonhos, mas este não..

    :D
    Ensaios de uma leitura

    ResponderExcluir
  7. Nossa que4 legal não acredito que ainda não li essa história perfeita bem minha cara. estou louco quero comprar esse livro urgente. adorei tua resenha fantástica
    Da uma passadinha no meu blog ?
    -> Estilo 4 U

    Abração
    Não deixe de conferir...
    Divulgue seus sorteios | Ganhe uma incrível camisa KNT

    ResponderExcluir
  8. Sempre fugi de clássicos, mas lendo sua resenha vi que preciso rever meus conceitos, já que no colegial costumamos ser meios rebeldes e não querer nada com nada. Ainda bem que o tempo passa .. kkk

    xoxo
    http://amigadaleitora.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Gostei da sua resenha.
    Acredita que eu não conhecia??
    Beijos

    cocacolaecupcake.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Muito show! Esse livro é um clássico mesmo. Quero muito poder ler ele.^^
    Beijos!
    Paloma Viricio- Jornalismo na Alma

    ResponderExcluir
  11. Não gostei muito dos clássicos que cheguei a ler, mas tenho vontade de ler Vidas Secas. Espero ter oportunidade. :)
    Beeeeijos

    ResponderExcluir
  12. meu professor de português me indicou esse livro uma vez ^^ parece bom

    ResponderExcluir
  13. Esse livro é um clássico mesmo.
    Eu tenho, mas o meu está tão velho que a capa está soltando haha
    Eu o ganhei quando uns 14 anos, mas só fui ler aos 18 rsrs
    Triste época que eu ainda não gostava de ler rsrs
    Beijinhos,
    http://fulanaleitora.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oi Lucas, esse eu não li no colegial, li no ensino médio um outro Justino o Retirante.. muito lindo, sofrido e real.

    Eu até quero ler mais clássicos, mas confesso que sempre os deixo de lado frente à algum outro que quero mais..srs

    Abraços
    Gabi Lopes

    ResponderExcluir
  15. Oi Lucas! Como você disse, só perde pra Senhora ^^ é realmente um livro muito muito bom e muito real, ótima resenha, como sempre.

    Beijos, Nanda

    ResponderExcluir
  16. Oi Lucas! Não li este livro ainda, na verdade traumas de escola, a sua resenha mostra pontos muito positivos, acho que é um livro bem inteligente. Parabéns pela resenha.

    Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  17. Oie Lucas
    que vergonha eu nem conhecer o livro :(
    menino, mas amei sua resenha. Acho que ler um livro por pura obrigação, acaba tirando o gostinho da leitura, mas que bom que vc indicou ele aqui, assim já deixo marcado como desejado.
    bjos

    ResponderExcluir
  18. Oi Lucas,
    Parabéns pela resenha, esse livro é um super clássico.
    Beijinhos
    Renata
    http://escutaessa.blogspot.com.br
    http://www.facebook.com/BlogEscutaEssa
    @blogescutaessa

    ResponderExcluir
  19. Oie!

    É ruim lermos algo por obrigação, né? Foi assim com "Vidas Secas". Apesar de eu achar o enredo muito bom e poder analisá-lo com minucias, na época eu li por obrigação, a leitura foi maçante pra mim, bem arrastada. Mas hoje em dia, com uma cabeça diferente, já penso de outra forma e não nego sua importância pra literatura.

    Bjins

    www.dicasoutravessuras.blospot.com

    ResponderExcluir
  20. Esse foi um dos livros que fui obrigada a ler também, mas confesso que gostei bastante da história, sua resenha ficou ótima! O livro retrata exatamente isso.

    beijos

    Jéssica - Strawberry de livros e filmes

    ResponderExcluir