14 de outubro de 2013

Crônicas, contos e outros versos... #03

Oi pessoal, tudo bem com vocês?

Alguns dias atrás depois de publicar algumas cartas no meu tumblr, teve gente que me chamou no inbox do Facebook e pediu que eu escrevesse um livro sobre Matt e Cecile. Decidi encarar o desafio, mesmo que não tenha a intenção de publica-lo futuramente e tenho avançado aos poucos. 
Mas, queria trazer aqui um trecho para saber a opinião de vocês. Sejam sinceros, ok? Abaixo está um trecho.


Enquanto Matt olhava o cardápio, Cecile o analisava como um treinador olhando o desempenho de seu atleta. Matt era o cara de seus sonhos, era atencioso, bonito e tinha um emprego que a fazia sentir mais segura do que necessário. E como se enxergasse ele ali pela primeira vez, notou um semblante preocupado em seus olhos, um olhar de uma pessoa que parece ter o mundo desmoronando pelas as costas. Mal sabia Cecile que este muro desmoronaria sobre os dois.

Matt fez o pedido de dois strogonoffs e para acompanhar um vinho de safra 1942. Enquanto, eles esperavam pelo o pedido, falaram das últimas noticias no país, do tempo, do show dos Beatles no próximo fim de semana e daquilo que os dois compartilhavam uma paixão intensa – livros. 

- E então? Ainda lendo Orgulho e Preconceito ou já começou a leitura de Crime e Castigo? – perguntou Matt sobre os livros que ele lhe dera de presente no mês passado.

- Ainda não tive tempo, me aventurei pelas As Crônicas de Nárnia.

- As Crônicas de Nárnia? Pensei que fosse uma mulher que só apreciava clássicos – disse ele num tom sarcástico.

- Exatamente. E se o senhor não sabe Lewis também é um clássico da literatura – respondeu ela, na defensiva.

- Tudo bem, tudo bem... Não vou negar. Nárnia, ainda é um dos meus livros favoritos.

- E fica aí zombando de mim. Todos os dias, peço a Deus, que me dê filhos iguais a Pedro, Susana, Edmundo e Lúcia. Principalmente, igual à Lúcia, para que eles nunca percam o verdadeiro valor da vida. Que se tivemos fé em algo, essa coisa irá acontecer, porque só não realiza sonhos, aquele que é incapaz de viver.

- Eu já peço que nos dê filhos que gostem de livros tanto quanto nós. Os livros são capazes de nos provocar mudanças, são os nossos conselheiros nas horas mais difíceis e sempre está ali sempre disposto quando precisamos.

A medida que Matt falava, ela foi ficando com sorriso bobo na cara, a ponto de Matt ficar confuso.

- O que foi? Porque está me olhando desse jeito? Disse algo de errado?

- Não, Não e não. É porque você disse nosso Matt, nosso! Ah, eu te amo, quero passar o resto da minha vida ao seu lado!

- Eu também te amo Cecile, muito! 

Trocaram um breve beijo enquanto se levantavam para saírem.

11 comentários:

  1. Adoro romances, ainda mais cheio de love como esse trecho que você postou, adorei.
    Mas como você pediu sinceridade só tenho uma dica, olha mais atentamente os sinais de pontuação e essas coisinhas da gramática, pois qualquer lapso pode modificar todo um parágrafo ou mais.

    Beijos e parabéns pela sua criatividade.
    Beijos
    Viviane

    Razão e Resenhas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Vivi! (=
      Vou tentar revisar com mais atenção, valeu pela dica. (;

      Excluir
  2. Lucas,

    Gostei do pequeno trecho, você demonstra ter segurança na narrativa e isso é muito importante para o desenvolvimento do livro. Acho que o ponto é saber onde vai dar, todos os meus projetos ficaram pelo caminho justamente por isso, não sabia onde queria chegar.... ah, essa insegurança!

    Boa sorte com a escrita ;)

    http://www.pontolivro.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Luciano! É muito bom ouvir isso.

      Excluir
  3. Adorei! Que narração encantadora.
    Desejei passar o restante de minha vida escutando os diálogo românticos de Matt e Cecile.
    Gostei tanto do trecho quanto do blog, e estou seguindo!
    Te desejo muito sucesso Lucas - na engenharia e na literatura.

    enfimepilogo(.blogspot.com)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, Nicolly! Fico feliz, obrigado de verdade!

      Excluir
  4. Gostei muito do trecho, Lucas. Há uma firmeza na narrativa bastante significativa. Acho que a única coisa que deve ser feita é uma revisão constante do que se está lendo, além de um planejamento prévio do enredo. No mais, vai com tudo!!!
    Parabéns!

    Um abraço!
    http://universoliterario.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Fran! Eu fiz até uma pausa na escrita, porque ainda não sei direito o que vai acontecer com o Matt durante o livro, mas na Cecile já pensei tudo certinho. (; Valeu pelas dicas.

      Excluir
  5. Bom dia Lucas, tudo bem?!
    Achei interessante você pedir a opinião de seus leitores.
    Bom, eu gostei bastante do enredo (gosto dessas coisas mais 'clichês' mesmo, e acho que a grande maioria dos leitores também). Mas concordo com a Viviane que você deveria se atentar mais na pontuação e coisinhas de gramática. Não sou uma 'expert' para ficar te falando isso, mas escrever um livro (nem que não seja publicado) necessita de mais atenção :)

    Beijinhos,
    www.procurei-em-sonhos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cássia,
      Concordo em tudo que você falou! (= Eu tenho muita mania de colocar virgulas onde não tem ou de tirar de onde deveria, vou ficar mais atento a isso.

      Excluir